AMOR DOÍDO VELADO

Ele partiu faz algum tempo. Saudades ficaram e hoje percebo que a sua ausência diante do cenário atual tão nosso,  lhe fora providencial. Brumadinense como poucos,  ribeirinho como tantos,  venerava o rio Paraopeba. Nascido e…

UM ENCONTRO

A tarde fria aguardava a noite de um aniversário com um convite irrecusável. Uma amizade que poderia ter sido iniciada em nossas infâncias, porém, não nos fora dado  direito dessa escolha. Nossos pais não nos…

Carta de afeto aos desafetos

Na tentativa de enxergar o óbvio me vejo cego. Na busca de encontrar o metal puro, sobressai uma extensa massa estéril. Tento me reinventar, mas, os moldes enrijecidos limitam as possibilidades de um novo “lay…

Sentido da História

Tive o privilégio de receber o mais novo lho da minha querida professora, Dona Zilda Andrade, após de oito décadas vividas. Creio que para a medicina seria uma tarefa árdua explicar, mas, para o amor…

CÉU DE BRUMADINHO

Sempre tive um carinho especial com céu de Brumadinho. Confesso-lhes, bairrismo à parte, é um dos céus mais lindos que conheço. Contar infinitos pontos brilhantes de paixões, permanentes ou cadentes é um privilégio desde criança,…

Palavra Mágica

Querido Papai Noel. Vários anos se passaram e eu perdi o jeito de escrever uma carta como esta. A primeira delas eu tinha pouca idade e nas mãos, lápis, papel e uma borracha que mais…

Francisco Diniz

Fundador da MEAM • Empresa de Medições Ambientais | Expertise em poluição atmosférica | Autor: Dois Contos de Réis